• Moto Premium

Pilotos da equipe Honda Racing dão dicas para fazer trilhas de moto

Jean Azevedo, do time de rally, e Bruno Crivilin, do enduro, destacam os itens essenciais para uma boa e segura aventura


Jean Azevedo, piloto de rally da equipe Honda Racing

Um dos jeitos de curtir a motocicleta é encarar uma trilha. A aventura ao ar livre e em meio a natureza tem sido uma das opções de lazer bastante realizada pelos apaixonados pelo off-road. Porém, todo cuidado é importante na hora de acelerar nesse momento. Por isso, os pilotos da equipe Honda Racing Jean Azevedo, do rally, e Bruno Crivilin, do enduro, dão algumas dicas essenciais para um passeio ou até mesmo um treino seguro.

Dez vezes campeão brasileiro de Rally Cross Country, heptacampeão do Sertões e com 18 participações no Dakar, o que Jean Azevedo mais tem é experiência. Aos 48 anos, o paulista de São José dos Campos é uma das referências do off-road nacional e está sempre na trilha. “Uma das coisas mais importantes é o piloto conhecer bem a moto que tem. Outro ponto é saber manusear as ferramentas necessárias para fazer alguma manutenção rápida. Eu normalmente carrego um manete de embreagem e um manete de freio”, conta Azevedo, que acelera a motocicleta CRF 450RX nas provas de rally. Já para viagens e outras aventuras, ele utiliza a CRF 1100L Africa Twin, modelo com o qual também ministra cursos.

Outra dica de Jean Azevedo é sempre estar prevenido. “Quando a gente sai para a trilha, geralmente anda bastante. Eu treino muito em Campos do Jordão (SP), que tem trilhas pesadas, e acabo suando muito. Assim, a mochila de hidratação é fundamental, além de carregar algo para comer. Como nessa região o tempo muda muito rápido, eu sempre levo uma capa de chuva”, completa.

A história de sucesso de Bruno Crivilin teve início como lazer nas trilhas e, hoje, o piloto de 25 anos é o representante do Brasil no Mundial de Enduro. “Comecei minha carreira como trilheiro e a primeira coisa que alerto é estar sempre com todos os equipamentos de proteção e segurança: bota, joelheira, calça, camisa, luva, colete, capacete, cotoveleira e óculos”, lista Crivilin, atual tetracampeão brasileiro de enduro na geral e na categoria E1. O capixaba de Aracruz também faturou em 2020 a medalha de bronze do Mundial de Enduro na classe J1 (para pilotos até 23 anos e com motos até 250cc), feito inédito para o país, assim como o primeiro lugar no pódio em uma das etapas daquela temporada.

Bruno Crivilin, piloto de enduro da equipe Honda Racing

Apesar de todas essas conquistas, Crivilin ressalta a importância de estar com outras pessoas na trilha. “Eu não ando sozinho, independente da minha experiência. A gente pode sofrer uma queda, por exemplo, e precisar de ajuda. Sempre tenho comigo pelo menos um amigo ou parceiro de trilha”, alerta. “O que pode ajudar muito também é a calibragem dos pneus, que deve ser adequada ao tipo de terreno que se está andando, principalmente para quem vai pelas primeiras vezes para a trilha. Se o pneu estiver muito cheio, perde um pouco a tração, o que dificulta um pouco a pilotagem”, finaliza.