• Moto Premium

Campo dos Sonhos

Atualizado: Mai 10

Feira em Carlisle, Pensilvânia, Estados Unidos, reúne motos antigas a preços convidativos e desperta a paixão dos colecionistas


Por: Gabriel Marazzi


Feira de Motos Antigas em Carlisle, PA
Em uma área de 350 mil m², cerca de 10 mil expositores espalham suas raridades pelo gramado

“Atenção, a sua revista Moto Premium não está com defeito de impressão. As imagens que você está vendo não são as de um fotógrafo míope nem se trata de um local pós-catástrofe. É apenas uma feira de peças e veículos antigos”.

Assim como nos antigos seriados de suspense da televisão, o aviso acima serve para alertar as pessoas, principalmente aquelas que sofrem do vírus da ferrugem, que ir ao Carlisle Collector Car Flea Market, no Estado da Pensilvânia, EUA, pode ser prejudicial à saúde. Do bolso.

Em uma área própria de 350 mil m², as feiras de Carlisle acontecem durante o ano todo, em edições nacionais e específicas, sendo que as duas mais importantes são as nacionais de primavera e de outono, quando cerca de 10 mil expositores espalham suas tranqueiras pelos gramados do local, na esperança de vendê-las. Ou trocá-las.

No ano passado, por razões óbvias, as feiras de Carlisle não aconteceram, o que ocasionou ataques de ansiedade em todos os dependentes desse vício, inclusive este que vos escreve, mas todos estão torcendo para que neste ano, os eventos no local voltem ao normal.

A maior parte do que é exposto nas feiras de Carlisle são automóveis, mas as motocicletas também estão lá, em uma boa quantidade. Como a maioria leva a marca Honda, parece que essa é a preferida pelos colecionadores de tranqueiras norte-americanos, mais até que Harley-Davidson, que tem como representantes principais nessa feira os pequenos scooters e mopeds (ciclomotores).

Scooter Cushman Pacemaker Series 50 de 1948
O raríssimo scooter Cushman Pacemaker Series 50 de 1948

O mais interessante de toda a feira, no entanto, era o scooter Cushman Pacemaker Series 50 Model 52 de 1948, que até há pouco estava disponível na mais famosa casa de leilões do mundo para veículos clássicos, a Barrett-Jackson. Só que as chamadas “tranqueiras” são as que mais atraem, não apenas porque são mais acessíveis, mas também porque dão a oportunidade de colocar a mão na graxa, em uma eventual restauração.

Harley-Davidson M50 Sport Leggera de 1966
Harley-Davidson M50 Sport Leggera de 1966

É o caso da Harley-Davidson M50 Sport Leggera de 1966, que estava em ótimo estado para uma boa restauração. Também bastante rara, o nome italiano dessa motocicleta remete à época em que a Harley-Davidson tinha uma parceria com a italiana Aermacchi para a comercialização de produtos de baixa cilindrada no mercado norte-americano. O vendedor estava pedindo 950 dólares pela raridade.

Não é fácil resistir às tentações de Carlisle. Para quem gosta de carros, resistir é mais fácil, pois para recebê-los em casa os custos de transporte e impostos são altíssimos, o que desencoraja, logo de cara, uma compra por impulso. Mas algumas motocicletas podem ser desmontadas e enfiadas na mala, então, segure-se!

Um moped Suzuki FA 50 em excelente estado foi um bom exemplo disso. Quase veio na bagagem, por cerca de mil dólares, mas a luz da razão acendeu-se a tempo. Seria encrenca, na hora de outra famosa luz acender, a das malas, na alfândega.

O mesmo aconteceu com outro moped, um Honda Express. Só que esse custou cerca de 40 minutos de negociação com o vendedor, que no fim de tudo não baixou nem um centavo dos 400 dólares pedidos. Ficou por lá.

Harley-Davidson 250H Sprint de 1963
Harley-Davidson (com Aermacchi) 250H Sprint de 1963

Quanto às motocicletas maiores, no entanto, às vezes era melhor nem saber o preço pedido. Nem iria adiantar. Como uma maravilhosa Harley-Davidson Sprint 250H de 1963, também fruto da associação com a italiana Aermacchi, que, ao lado de uma Harley das grandes, copiava seu estilo com os alforjes laterais, não originais desse modelo.

Algumas motocicletas de origem japonesa até conhecíamos daqui mesmo, mas a curiosidade consiste em descobrir as diferenças entre as versões do mesmo modelo, já que a legislação entre os Estados Unidos e alguns países da Europa exigiam algumas alterações nas especificações do fabricante (nossas japonesas importadas seguiam as especificações inglesas). É o caso de uma Honda CL 175 Scrambler de 1968, que, em ótimo estado, bem que poderia ser o veículo de uso diário para quem vive por aquelas paragens. Mas a concorrência seria grande: muitas motocicletas antigas estavam à venda na feira.

Poderia ser, com um pouco de trabalho e uma restauração do banco, uma Yamaha Enduro 175, muito parecida com a nossa Yamaha DT 180, inclusive com a suspensão traseira monoamortecida do tipo cantilever. Para quem gosta de motores dois tempos.

Se a ideia é entrar de cabeça em uma restauração difícil, uma rara Simplex chamava a atenção só dos mais entendidos ao redor. Essa motocicleta, concebida no Estado da Lousiana ainda nos anos 30, mostra uma curiosa transmissão automática de correia, talvez um embrião dos CVT atuais, com uma polia primária variável se movendo longitudinalmente e uma secundária enorme, quase do tamanho da roda traseira. Depois de restaurada, certamente uma motocicleta muito valiosa.

Interessante, também, uma Honda XL 100 de 1974, de uma época em que as motocicletas para fora de estrada começavam a ficar mais resistentes às exigências desse tipo de utilização. Essa motocicleta era até mais robusta do que a Honda XL 250 Motorsport do mesmo ano – bem conhecida dos brasileiros –, já que tinha um quadro tubular mais reforçado. Essa aí está bem surrada, o que deve fazer seu preço cair bastante, mas restaurar uma motocicleta dessas nas terras do Tio Sam é fácil e não muito oneroso.

Honda Dream 305 de 1965
Honda Dream 305 de 1965, predecessora da família CB

Mas tem muito mais. Ainda da Honda, um dos modelos com mais história da marca estava discretamente exposto entre muita quinquilharia. A Honda Dream 305 de 1965 antecipou o estilo da família CB, um grande sucesso da marca até os dias de hoje. Apesar do guidão não original, a Honda Dream 305 tem muito valor no mercado das motocicletas clássicas.

Tudo que se vê nas feiras de Carlisle parece que fica “chamando”, para uma compra impulsiva. Olha só que beleza ficou esse kart com dois motores em que o piloto vai sentado dentro da banheira. Se não dá pra comprar e levar, pelo menos pode-se copiar a ideia.

Honda ST-90
Pouco maior que a conhecida ST-70, esta é a Honda ST-90

Essa Honda ST-90 parece muito com uma grande conhecida nossa, a Honda ST-70, que alegrou a rapaziada nos anos 70 e agora volta à moda em versões restauradas ou copiadas pelos chineses. Esta é maior, provavelmente não cabe no porta-malas do carro, com a menorzinha fazia.

Scooter-triciclo Honda de 1985
Scooter-triciclo Honda de 1985 estava à venda por 2.100 dólares

Muito simpático, um scooter vermelho estava à venda por 2.100 dólares. Da Honda, fazia parte da linha Gyro-X, scooters articulados cuja parte anterior inclina nas curvas enquanto a posterior, que tem o motor e o eixo traseiro, fica paralelo ao solo. Testei um scooter desses em 1985, exatamente o ano de fabricação desse que lá estava exposto.

Latas de óleo também são muito procuradas por colecionadores e têm mercado muito forte nos Estados Unidos, principalmente se estiverem cheias. Até dá para trazer uma, mas deve-se tomar muito cuidado com elas dentro da mala.

As feiras de Carlisle não são uma tentação apenas para automóveis e motocicletas, mas para qualquer tipo de objetos antigos, relacionados ou não ao assunto. Aí é mais fácil satisfazer a vontade de levar um ou mais “recuerdos”. O que muitos chamam de “tranqueiras”. Além de outros itens, não resisti a um parquímetro, que inclusive veio cheio de moedas, e alguns LP’s de surf rock dos anos 60, época em que conjuntos como os Beach Boys se renderam incondicionalmente às pequenas motocicletas da Honda.

Apesar de ainda não confirmada, por causa da pandemia, a feira de Carlisle de outono deste ano, a Fall Carlisle, está marcada para começar no dia 29 de setembro, terminando seis dias depois, em 3 de outubro. Aí, aproveite e fique mais uma semana, pois a maior feira de objetos pré- -guerra do mundo acontece uma semana depois, na cidade vizinha de Hershey. Mas aí já é um pretexto para outro papo, com mais fotos de motocicletas antigas.

17 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo