• Moto Premium

Honda confirma para 2021: scooter Forza 350, superesportiva CBR 1000RR-R Fireblade SP e maxitrail

Atualizado: Abr 15

Novidades chegam ao longo do ano com tecnologias inéditas


Acima, Forza 350, CBR 1000RR-R Fireblade e CRF 1100L Africa Twin, respectivamente


A Honda confirma oficialmente para 2021 a chegada de novos modelos de alta gama: o scooter Forza 350, para concorrer com o Yamaha Max e o Citycom 300, a superbike CBR 1000RR-R Fireblade e a big trail CRF 1100L Africa Twin, que incorpora duas versões com DCT, a dupla embreagem que, na prática, torna o câmbio automatizado. Assim serão quatro versões da bigtrail: com câmbio mecânico Standard e Adventure Sports, e com DCT nestas mesmas duas possibilidades de acabamento.


Honda Forza 350: motor eSP+, controle de tração e muito requinte


Exibida no Salão das Duas Rodas há um ano, a nova Forza 350 traz design sofisticado e elegante, e o inédito motor eSP+ (enhanced Smart Power Plus), com potência elevada e torque abundante, e transmissão CVT. Detalhe tecnológico importante é o controle de tração HSTC (Honda Selectable Traction Control), que pode ser desconectado através de tecla no punho esquerdo do guidão.

Na parte ciclística, se destaca o chassi tubular de aço com suspensão telescópica à frente e bichoque regulável atrás. Os freios a disco são dotados de sistema ABS de dois canais e as rodas têm 15 polegadas na dianteira e 14 atrás, calçadas com pneus 120/70 e 140/70.



O compartimento sob o assento é capaz de abrigar dois capacetes integrais, além do para-brisa com regulagem de altura por comando elétrico. A tecnologia embarcada engloba um computador de bordo completo, chave presencial Smart Key, iluminação full LED, a conectividade proporcionada pela tomada USB no compartimento à frente do condutor e o sistema Honda Smartphone Voice Control System, pelo qual o piloto - se equipado com capacete com fone de ouvido e microfone - pode fazer chamadas via celular, gerenciar comandos de navegação e outras funções.


Honda CBR 1000RR-R Fireblade SP: a mais potente de todos os tempos



Inteiramente nova, a CBR 1000RR-R traz um motor quatro cilindros em linha inédito, o 1000 cc mais potente produzido pela Honda em série.

A Fireblade 2021 aplica materiais nobres, para uma excepcional relação peso/potência. Seu design ganhou o prêmio Red Dot Award, um dos mais importantes internacionalmente. Pequenos "winglets” – aletas aerodinâmicas –no interior da carenagem, elevam a pressão aerodinâmica, e deixam a CBR 1000RR-R colada na pista em alta velocidade.

Também o chassi é novo, em estrutura de trave dupla de alumínio. A suspensão Öhlins Smart EC, com interface eletrônica OBTi (Objective Based Tunning interface), permite regulagem via painel de instrumentos. Além disso, freios Brembo com pinças Stylema.

No painel, tela TFT com recursos para gestão da eletrônica embarcada, que permite selecionar três modos de pilotagem, nove opções de controle de tração, três de "antiwheelie", amortecedor de direção, freio motor, “quickshifter”, através de um joystick no punho esquerdo.


Honda CRF 1100L Africa Twin: mais leve, potente e a exclusiva transmissão DCT



A Maior novidade é a Africa Twin 1100 com transmissão DCT - Dual Clutch Transmission. A versão Adventure Sports tem tanque de maior capacidade e itens de comodidade e conforto.

Na CRF 1100L Africa Twin, potência e torque foram elevados. A distribuição de potência e torque no arco de rotações foi alterada, e a resposta do acelerador eletrônico desde as mais baixas rotações foi aperfeiçoada. Orquestrando tudo isso estão os "Riding Modes", com opção de quatro níveis de potência, três de freio-motor e nada menos que sete seleções para o controle de tração HSTC (Honda Selectable Traction Control).

A CRF 1100L Africa Twin tem um chassi tubular de aço novo, mais leve, e o mesmo vale para a balança de suspensão traseira, derivada da moto bicampeã mundial de motocross, a Honda CRF 450R. Suspensões de curso longo - 230mm na frente e 220mm atrás - fazem da maxitrail da Honda uma verdadeira aventureira, capaz de transpor os piores terrenos, inclusive por oferecer uma distância livre em relação ao solo de 250 mm. Mesmo assim, o assento (regulável) está 20 mm mais baixo que na versão anterior.

O aspecto estético acompanhou a vasta renovação da Africa Twin sem, porém, revolucionar sua personalidade: a parte frontal está mais afilada, com faróis mais integrados à carenagem, que abriga um painel TFT de 6,5 polegadas "touch screen", funcionalidade que facilita a gestão dos diversos parâmetros de configuração dos comandos eletrônicos.