• Moto Premium

Honda GL 1800 Gold Wing

Atualizado: Ago 28

Não há nada melhor para a longa estrada

No início dos anos 1970, a Honda parecia embevecida com a ideia de espantar o mundo. O universo motociclístico ainda não havia se recuperado inteiramente do impacto causado pelo lançamento da CB 750 Four, em 1969, quando a marca japonesa fez de novo. O palco foi o prestigiado Salão de Colônia, na Alemanha, dos mais importantes da Europa. O ano, 1974.

O chefe do novo projeto foi o mesmo da CB 750, o engenheiro Toshio Nozue. Partindo do protótipo M1 de 1972, Nozue ousou ao apresentar a poderosa Honda GL 1000 Gold Wing. A ideia de uma moto para a longa estrada nunca mais seria a mesma.

A concepção do motor flat de quatro cilindros horizontais contrapostos, refrigerado a líquido, e mais a adoção de eixo cardã na transmissão final elevaram o projeto de engenharia de motocicletas a um nível de sofisticação até então inusitado. Afinal, aquele viria a ser por quase meio século o modelo flagship da marca da asa dourada.

Esteticamente, a moto era limpa, encorpada, elegante e sóbria. Grande como nenhuma outra moto japonesa de sua época, trazia uma série de novidades, como o tanque sob o banco e o câmbio sob o motor, o que lhe permitia um centro de gravidade muito baixo e centralizado. Talvez a maior surpresa do modelo à época tenha advindo dessa inovação ciclística: a Gold Wing era – característica que preserva com orgulho – extremamente maneável, leve e fácil de manobrar em qualquer circunstância de pilotagem. Algumas unidades dessa versão chegaram a ser trazidas oficialmente para o Brasil, que teve as importações de veículos proibidas a partir do final de 1976 (e até o fim de 1989).

A GL 1000 foi produzida até 1979. No ano seguinte surgiria a GL 1100 Interstate, já caracterizada como uma touring, com maior entre-eixos, ignição eletrônica, tanque maior e menor peso. Com carenagem aerodinâmica, malas laterais e top-case, inaugurava o visual estradeiro que mantém até hoje. O motor plano de quatro cilindros cresceu em 1984 para 1.200 cc de cilindrada.

Quatro anos depois surgiu a Gold Wing GL 1500 Series, primeira versão equipada com motor seis cilindros, de 1.520 cc. Estabeleceu novos parâmetros de suavidade e de vibrações, inacreditavelmente imperceptíveis. Em 2001 chegou a GL 1800, com 1.823 cc de cilindrada, trazendo para a moto a injeção eletrônica e o chassi de alumínio. Foi a primeira moto do mundo a oferecer air-bag, em 2006. Consolidou-se, ganhando aprimoramentos técnicos e estéticos, como a mais confiável e confortável máquina para a estrada, até que…


NOVA GERAÇÃO

Em 2018 chegou a 6ª geração da Gold Wing. A Honda ousou novamente. Primeiro, pela coragem de mudar um modelo que ganhou o respeito de motociclistas de todo o mundo pela confiabilidade, desempenho e conforto. Depois, por adotar, outra vez, soluções nunca vistas na indústria. A Honda obteve nada menos que 90 patentes de inovações incorporadas ao modelo atual.

Sob a batuta de Yutaka Nakanishi, líder do projeto, a moto ficou mais leve, mais potente e – acredite – ainda mais confortável. A Gold Wing reúne o máximo em tecnologia avançada para a mobilidade. E não se trata apenas dos inúmeros recursos de eletrônica embarcada, mas de real projeto de engenharia mecânica.

Por exemplo, o câmbio DCT presente na versão Tour permite total conforto em viagens, dispensando o uso da embreagem para a troca das sete marchas. As mudancas são rápidas e suaves, perfeitas para a estrada. Além disso, o DCT permite o walking mode, no qual a moto se move lentamente para a frente e para trás em manobras, sem qualquer esforço do piloto. A versão standard, de câmbio mecânico, tem marcha a ré elétrica. São detalhes exclusivos de conforto e segurança.

Na mesma linha, o assistente de partida em ladeiras, Hill Start Assist, evita que a motocicleta deslize para trás quando é preciso sair em uma subida. Quem já viveu essa situação em uma moto grande sabe a enorme utilidade desse sistema, pois a roda dianteira, mesmo freada, desliza…

A nova suspensão dianteira de inspiração automobilística, com sistema de duplo A, ou double wishbone (wishbone é o ossinho da sorte do frango, aquele fininho, em formato de V) tem comando eletrônico e permite o máximo de conforto em viagens longas, com estabilidade a toda prova, mesmo em velocidades elevadas. Dá muito orgulho pilotar uma moto que reúne o que há de mais avançado em engenharia mecânica pura. O sistema de suspensão eletrônico é customizável pelo motociclista através de comando no punho. Molas e amortecedores ajustam-se automaticamente em quatro níveis: piloto; piloto e bagagem; piloto e garupa; e finalmente, piloto, bagagem e passageiro. Estabilidade e conforto em qualquer condição de viagem – mesmo no frio: bancos de piloto e passageiro têm aquecimento, bem como as manoplas.

Nenhuma outra motocicleta reúne tantos ítens de conforto quanto a Gold Wing. Em longas viagens, conforto também é segurança, pois um piloto descansado e atento reage muito mais prontamente que se estiver desgastado e incomodado. Assim, o painel de 7 polegadas em TFT colorido traz as informações necessárias para uma longa jornada sem preocupações, como autonomia restante, consumo médio e instantâneo, pressão dos pneus, indicador de marcha em uso, cruise control, aquecedores ligados etc.

A tecnologia contribui ainda com um sistema de som avançado que permite comunicação via Bluetooth e qualidade de reprodução perfeita, mesmo das músicas do smartphone, pois a moto tem Apple Carplay, que também permite o uso de sistemas de navegação interativos, entre outros aplicativos.



Nas freadas, mesmo as mais fortes, a frente não “mergulha”, graças ao design da suspensão, garantindo, em conjunto com o ABS de última geração e o HSTC, controle de torque, total confiança. A versão Tour vai mais além na segurança, sendo a única motocicleta do mundo a ter air-bag, que se infla à frente do piloto em caso de colisão, aumentando enormemente a sensação de tranquilidade a bordo.

O desempenho é inacreditável para o porte do modelo. O motor de seis cilindros horizontais opostos¬¬ ganhou mais potência e controles eletrônicos. É insuperável em termos de desempenho e vibrações, praticamente imperceptíveis. Com quatro modos de pilotagem à escolha do motociclista, a Gold Wing se transfigura, assumindo comportamentos distintos. No modo Tour, a viagem transcorre com potência e conforto esperados dessa motocicleta; no Rain, previsto para uso sob chuva, a suspensão fica mais macia, as respostas mais suaves e os sistemas de controle de torque e antibloqueio de frenagem ficam mais intrusivos. Se o motociclista precisar de maior autonomia, pode optar pelo modo Econ, econômico. Se, ao contrário, quiser divertir-se um pouco mais e explorar os limites da pilotagem, o modo Sport transforma a Gold Wing numa fera inacreditavelmente voraz, capaz de engolir qualquer outra motocicleta pelo caminho, mesmo muitas de proposta puramente esportiva…

Em sua versão atual, a Honda GL 1800 Gold Wing continua a fazer história e a ser a melhor coisa para encarar uma estrada. Faz valer a máxima dos aventureiros, segundo a qual o caminho pode ser tão prazeroso quanto a chegada.



33 visualizações

Receba nossas atualizações

  • Facebook
  • Instagram
  • YouTube

© 2020 MOTO PREMIUM.