• Moto Premium

Twin 900CC

Por: André Ramos

Twin 900cc de estilo puro e simples - Despojada mas sofisticada, a Triumph Street Twin é a síntese do que é elegância e discrição

A Triumph tem se caracterizado pela associação da imagem de seus produtos ao lifestyle a que eles remetem e isso ganha ainda mais amplitude quando o assunto são suas motos clássicas. A nova Street Twin 900 é uma das motos mais definitivas deste segmento. Seu modelo 2020 apresenta melhorias que deram uma apimentada em sua performance.

Renato Fabrini, executivo que assumiu a marca no ano passado, apresentou números que revelam como a Triumph Motorcycle tem desempenhado em nosso país. De acordo com ele, a marca britânica possui 14,2% de market share no segmento, o que a coloca na 4ª posição no ranking nacional, entre as motos de alta cilindrada. No nicho das modern classics, como enquadram estes modelos, os números têm apresentado sólido crescimento desde 2012. De 362 unidades vendidas no primeiro ano (2013), a Triumph previa fechar 2019 com 913 motocicletas vendidas, crescimento de 152%.

Segundo dados da Fenabrave de novembro de 2019, a Triumph ocupava a 8ª posição no ranking geral de emplacamentos, com 4.757 motocicletas lacradas até então. Embora o ranking não apresente uma categoria destinada às clássicas, entre as customs a Bonneville ocupava também a 8ª colocação, com 334 unidades emplacadas.


O QUE MUDOU?

Visualmente, a nova versão é muito semelhante à antecessora. Mas, em comparacão com a versão precedente (2016-2018), a Street Twin 900 está 10 cv mais potente, mesmo sem alteração na capacidade volumétrica do motor. Ela entrega 65 cv,. O torque manteve-se inalterado: 8,1 kgf.m a 3.230 rpm.

A moto ganhou novo acelerador eletrônico ride-by-wire, sim, dispensando o cabo de aço para abrir o corpo de borboletas da injeção. Isso possibilita à motocicleta trabalhar com novos mapas de ignição, resultando em dois modos de condução (Road e Rain), comutáveis a partir de um botão no punho esquerdo. No modo Rain a abertura da borboleta é limitada, impedindo que toda a potência seja entregue.



O controle de tração continua presente. O recurso é providencial: em uma das curvas que usamos para fotografá-la, experimentei “queimar” a embreagem na saída da curva, com a moto ainda bem inclinada, para ganhar velocidade. Qual não foi a minha surpresa quando o sistema, ao perceber o destracionamento da roda traseira, tratou de cortar a ignição para que a aderência fosse recuperada!

A concepção do motor, com intervalo de ignição de 270º, tem grande responsabilidade pelo fôlego que a moto apresenta. Segundo a marca, o pico de torque está 18% maior em baixas rotações (abaixo dos 3.200 rpm) e entregando 22% mais potência em médias rotações.

Embora o visual seja conservador, a entrega de potência e força agora está mais contemporânea; o motor despeja com mais eficácia sua resposta à roda traseira, possibilitando arrancadas que promovem sorrisos e deixam os ouvidos satisfeitos, já que o ronco deste bicilíndrico refrigerado a líquido é animal: compassado e grave, o barulho que emana das ponteiras é puro êxtase.

Além disso, a adoção de um novo virabrequim possibilitou a inclusão de um sistema de contrabalanceiros na árvore de manivelas, o que deixou o seu funcionamento mais suave, resultando em menor índice de vibrações mesmo nas faixas mais elevadas de rotação.

A tampa do motor em magnésio também é nova, enquanto a embreagem recebeu refinamentos para deixar seu acionamento mais macio. Falando em embreagem, esta é assistida e deslizante, o que impede o travamento da roda traseira em reduções mais enérgicas.

Com mais potência, a Triumph tratou de fazer um upgrade também no sistema de freio. A pinça Nissin na dianteira cedeu lugar a uma Brembo de quatro pistões, enquanto o disco agora mede 310 mm. Na traseira, nada mudou: pinça Nissin de dois pistões e disco de 255 mm, com ABS.

Outro ponto “invísível” de mudança está no chassi. Ele é novo, assim como as suspensões, que receberam melhorias para tornar a pilotagem mais precisa e intuitiva. Esta nova Street Twin 900 recebeu chave codificada, que impede o acionamento do motor mesmo que seja introduzida uma chave semelhante no miolo, capaz de destravá-lo. Neste caso, a moto não dará partida, devido à falta do código presente na chave original, o que amplia a segurança contra furto.

Para oferecer uma experiência de pilotagem mais agradável em rolês mais longos, a nova Street Twin 900 recebeu espuma do assento 10 mm mais grossa. No mais, ela continua prezando pelo design minimalista, associado a peças muito bem usinadas e a detalhes que conquistam pelo esmero e bom gosto, alinhando seu visual à expectativa estética de seus consumidores.


Olhando para elementos como o aro do farol, as molduras que o prendem às bengalas, a tampa do tanque, a cobertura do corpo de borboletas, a maneira como o painel é fixado à moto, o formato do pedal de câmbio, entre outros elementos, revela-se o cuidado com o acabamento de cada peça. Por R$ 39.490, eu sinto falta de uma lâmpada dianteira em LED, assim como de uma DLR. Bom, na traseira o LED já foi incorporado à lanterna.

Quase esqueci: sob o assento há uma tomada 12V pronta para permitir que você carregue o seu celular.

Segundo a Triumph, os futuros proprietários da Street Twin 900 encontram 150 acessórios para dar à motocicleta um toque pessoal, individualizado.

Além de seu visual clássico, a versatilidade da Srteet Twin encanta. O assento a meros 750 mm do solo mascara seus 198 kg a seco, já que os dois pés alcançam o chão com facilidade. A largura de 785 mm tira de letra as passagens pelos corredores das grandes cidades. Por outro lado, se quiser dar um rolê um pouco mais longo no final de semana, ela vai de boa, oferecendo farta diversão em estradas curvilíneas, nas quais, se você bobear, o limitador das pedaleiras vai se encontrar com o asfalto, mesmo com suas rodas de liga leve estando calçadas com pneus de perfil alto.

O tanque de 12 litros, associado a um consumo na faixa dos 20 km/l resulta em uma autonomia de 240 km, o suficiente para pilotar até dar a hora de aliviar os glúteos e esticar as costas e pernas. Ô motinho divertida!

Se a sua rotina enquadra-se nesta proposta, se já não está mais preocupado em ter a moto que mais corre entre os amigos e nem preocupado em pilotar de macacão de couro, mas sim, com uma roupa casual, a Street Twin 900 tem uma grande chance de te fazer muito feliz. Quem sabe você não estará com ela no próximo DGR (Distinguished Gentleman’s Ride)?



7 visualizações

Receba nossas atualizações

  • Facebook
  • Instagram
  • YouTube

© 2020 MOTO PREMIUM.